Notícias e Informações:

FORMAÇÕES MODULARES CERTIFICADAS

Cursos de Aprendizagem:

 

Pedido de Informações:

Vantagens:

  

 

 

 

Formação Profissional:

Contratação Pública:

Alunos do INETESE aprendem entre pés descalços e uma sardinha para três: Bordados da memória no Louriçal do Campo

No projeto Bordados da memória os alunos do Curso Profissional de Técnico de Audiovisuais continuam a desenvolver desde há algumas semanas exercícios de observação e registo audiovisual de contactos com idosos de várias Instituições Particulares de Solidariedade de freguesias do concelho de Castelo Branco. A última contemplada foi o Centro Social de S. Bento, no Louriçal do Campo. Através do contacto a realidade local, os alunos puderam observar aquela instituição em crescimento para constituição de um lar, que junto com a sua diretora técnica é apelidada de “joia”. São estas “joias” que claramente interrompem a solidão que parece marcar os seus dias. Os alunos do INETESE receberam no espaço desta instituição uma verdadeira lição de história, uma espécie de regresso ao passado, sendo-lhes possível recolher imagens e sons através dos quais irão construir um verdadeiro documentário sobre formas de (sobre)viver antigamente.

 

Entre as referências às virtudes da monarquia e aos desaires da república, assim como entre trabalhos feitos com pés descalços em pleno inverno e uma sardinha para três, a proximidade com protagonistas da nossa história conseguiu problematizar o entendimento sobre o passado, o presente e o futuro: “no passado havia fome e alegria”, “hoje há barrigas cheias mas tristeza”. Estas frases são comuns nos depoimentos dos idosos, chegando alguns deles a projetar que mais tarde até as suas parcas reformas deixaram de existir para os jovens de hoje. As câmaras fotográficas e de filmar empunhadas pelos alunos captaram traços de rostos vividos, assim como a urdidura com que os idosos tecem as suas memórias. Estas, entre as quais estão as dos já referidos pés descalços, afirmaram-se como forças no sentido de estimular a reflexividade, fazendo com que a partir da aproximação ao passado se projete um futuro diferente daquele prognosticado por alguns dos idosos. Estes afirmaram nos seus testemunhos que viveram uma infância com fome, mas alegre, enquanto as crianças de hoje vivem com a barriga cheia, mas são tristes. Para onde caminhamos? As competências socioculturais e técnicas que se pretende desenvolver no Curso de Técnico de Audiovisuais, a partir das experiências vivenciadas e dos registos captados, visam precisamente dar um outro futuro ao futuro, desempenhando aqui o papel dos idosos um papel crucial. O documentário em construção, intitulado Bordados da memória de Castelo Branco, assume-se como um instrumento de protagonismo da memória como um dos elementos principais do património de um território.

Certificações: